Pular para o conteúdo
Voltar

Secel busca soluções para atender demandas do segmento de academias

Secretaria oferece apoio ao setor que passa por dificuldades por terem suas atividades suspensas devido ao Covid-19
Cida Rodrigues | Secel-MT

Lançamento do projeto MT + Saudável - Foto por: João Felipe/Secel
Lançamento do projeto MT + Saudável
A | A

A Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) está mantendo reuniões frequentes com o segmento de profissionais e empresas ligadas à oferta de atividades físicas. Com mais de mil academias em Mato Grosso, e aproximadamente 10 mil trabalhadores, o setor passa por dificuldades por terem suas atividades suspensas devido à pandemia da Covid-19.

De acordo com o secretário da Secel, Allan Kardec, a pasta vem buscando oferecer o suporte possível, atuando em contato com o Poder Legislativo e órgãos do Governo, como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e da agência de fomento estadual, Desenvolve MT.

“O setor foi um dos primeiros a ter os serviços suspensos para ajudar a conter a expansão do coronavírus. Estamos trabalhando para encontrar formas de atender as suas reivindicações e buscar recursos para minimizar os impactos econômicos provocados pela pandemia”, explica.

No início da semana, o titular da Secel , Allan Kardec, e o adjunto de Esporte e Lazer, Jefferson Carvalho,  se reuniram com o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, e representantes do Desenvolve MT e de academias e escolas de ginástica, musculação, natação,  higroginástica e crossfit para discutir as dificuldades do segmento durante o período de isolamento social. A principal demanda tratada na reunião foi a perspectiva de uma linha de crédito mais atrativa do que o mercado oferece para que o segmento possa se manter enquanto durar as medidas de restrição social. 

A outra reivindicação diz respeito ao cronograma de retorno das atividades. Foram discutidas possibilidades de iniciar a retomada de atividades ao ar livre e de personal trainners que não realizam atividades em área fechada.

Além disso, a Secel está atuando junto à Assembleia Legislativa para declarar o segmento de atividades físicas como prioritário à sociedade. Um projeto de lei está em discussão para que os espaços que oferecem essas atividades tenham incentivos fiscais e possibilite que seus serviços sejam mais acessíveis a toda população.

“É um segmento que oferece atividades voltadas à promoção da saúde. São espaços essenciais para a sociedade, por isso precisam ser declarados como prioridade. E esse projeto de lei pretende beneficiar esses empreendimentos com incentivos para que seus serviços sejam mais baratos e possam ser alcançados por mais pessoas”, defende Allan Kardec.